Mahatma Gandhi

By admin / junho, 7, 2011 / 3 comments

O HOMEM QUE LIBERTOU A ÍNDIA E MOSTROU AO MUNDO O CAMINHO DA MUDANÇA SEM VIOLÊNCIA

O apóstolo da Não-Violência como também é conhecido Gandhi, é um fenômeno humano de incrível força cósmica. Sua grandeza e sua coragem pessoal ainda não foram devidamente medidas e comprendidas. Falta-nos perspectivas histórica, estamos ainda muito próximos de suas excepcionais realizações humanas e políticas e não podemos vê-las em toda sua grandeza.
A generalidade de Gandhi está ainda para ser reconhecida. Talvez daqui a um ou dois séculos a humanidade mais evoluída cultural e espiritu-almente, poderá determinar a verdadeira dimensão de sua grandeza de santo político e político santo.

Um biógrafo de Gandhi num momento de profunda compreensão e inspiração disse: ”Com o fenômeno Gandhi entrou para a história da humanidade uma nova fase de evolução. O mundo não pode ser mais o mesmo depois de Gandhi. Temos agora novas perspectivas para nosso viver ético, cultural e espiritual”.

Realmente Mahatma Gandhi, inaugurou uma nova experiência vivencial. Equilibrou em si mesmo, dois mundos completamente dialéticos: Oração e Ação; Vida material e Vida Espiritual; Ele conseguiu ser dinamicamente passsivo e passivamente dinâmico.
A mensagem de sua vida indicou-nos o caminho para nossa própria plenitude. Gandhi é um modelo.
No começo de sua vida, entretanto sua índole e temperamento eram diferentes; quase o oposto do seu comportamento de Mahatma.
Gandhi, antes de ir para a África do Sul, era de natureza violenta, egoísta, fortemente sexuado, ambicioso, temido e cruel. Como advogado, vaidoso e inseguro, usava terno europeu, camisa branca de colarinho engomado, gravata de seda e sapatos de alta qualidade.
Na África do Sul morava numa bela vila inglesa, em área aristocrática da praia. Amava o dinheiro. Era um autêntico indiano europeizado.
Na Inglaterra, Gandhi descobriu a Sociedade Vegetariana de Londres. A sociedade deu-lhe uma causa: passou a escrever artigos defendendo o vegetarianismo e o apresentou a uma comunidade de pessoas com semelhantes idéias. Foram os membros da Sociedade que lhe proporcionaram a leitura do BHAGAVAD-GITA (Canto do Bem-Aventurado), poema teológico-ético indiano, considerado a expressão máxima da literatura da Índia. A obra é um diálogo entre Krishna e Arjuna, um herói místico, no qual a Divindade mostra a meta à qual devem aspirar todos os seres, aponta os três caminhos da libertação do ciclo das reencarnações: o Bakti-Yoga, Gnana Yoga e o Karma Yoga. Foi também no Bhagavad-Gita que Gandhi iria encontrar o conceito de Ahimsa (não injúria/não violência), o princípio que abrange ao mesmo tempo a renúncia e o ativismo espiritual contido na doçura, na generosidade e na ausência de mentira, e que foi tão importante para a formação do pensamento ético-político do futuro líder.
Mas não foi com facilidade que adquiriu sua calma e serenidade de Mahatma (Grande Alma). Nem foi sem terrível auto disciplina que se tornou um Yogui de mente serena e controlada..
Reconhecendo suas deficiências, fez um esforço consciente para superar-se e modificar-se. Começou a realizar serviços assistenciais, limpar latrinas e varrer locais públicos. Fez voto de castidade (Brahmacharya) e dedicou grande parte do seu tempo em encontrar uma dieta vegetariana ideal. Transformou-se num homem de natureza completamente diversa.
Gandhi constituiu um caso notável de segundo nascimento durante uma só vida. De homem profano e fraco, tornou-se um santo, um verdadeiro Mahatma.

Extraído do livro: “Mahatma Gandhi-O Apóstolo da Não-Violência”
( Martin Claret Editores)

PALAVRAS DO MAHATMA

“O caminho da paz é o caminho da verdade. Ser honesto é ainda mais importante que ser pacífico. Na verdade, a mentira é a mãe da violência. Um homem sincero não pode permanecer violento por muito tempo. Ele vai perceber, no curso de sua busca, que não tem necessidade de ser violento. Vai também descobrir que enquanto houver nele o menor vestígio de violência, não conseguirá encontrar a verdade que está procurando.

Não há um ponto intermediário entre a verdade e não violência de um lado e a falsidade e a violência de outro.

Talvez nunca sejamos fortes o bastante para sermos totalmente não-violentos, em pensamento, palavra e ação.

Entretanto devemos manter a não-violência como nosso objetivo e fazer um progresso constante em sua direção. A conquista da Liberdade, quer seja para um homem, uma nação ou um mundo, deve ser na proporção exata da conquista da não-violência. Assim aqueles que acreditam na não-violência como o único método de alcançar a verdadeira liberdade, devem manter a chama da não violência ardendo intensamente no meio das trevas impenetráveis do presente. A verdade de uns poucos vai prevalecer. A inverdade de milhões, vai se dissipar, como palha a uma lufada de vento”.

( Extraído do livro “As palavras de Gandhi”Editora Record)

“Minha convicção pessoal é absolutamente clara. Não tenho o direito de magoar nenhum ser vivo, muito menos seres humanos como eu, ainda que eles possam causar grandes males a mim e aos meus”. Por isso, ao mesmo tempo que considero o domínio britânico uma calamidade, não pretendo causar dano a um único cidadão inglês ou a qualquer interesse legítimo que ele possa ter na Índia.

Sei que empenhando-me pela não-violência, estarei correndo o que poderia ser chamado de um grande risco, mas as vitórias da verdade jamais foram alcançadas sem riscos.. E transformar uma nação que consciente ou inconscientemente, foi opressora de outra, mais numerosa, mais antiga e não menos civilizada que ela própria, merece correr qualquer risco”

“Para ver o Universal e imanente Espírito da Verdade, face a face é preciso ser capaz de amar a mais ínfima das criaturas como se ama a si próprio. Um homem que a isso aspira não pode ser omisso em nenhum aspecto da vida; Daí porque minha devoção à Verdade conduziu-me ao campo da política e…aqueles que dizem que a religião nada tem a ver com política não sabem o que a religião significa”
A religião é o vínculo que une um homem a seu criador; Enquanto o corpo perece, como é inevitável, a religião persiste mesmo depois da morte. “A oração é a chave da manhã e a tranca da noite”.

Deus responde à prece a sua própria maneira não a nossa. Um homem de fé não barganha nem apresenta condições à Deus.

A fé é uma função do coração: Deve ser imposta pela razão; as duas coisas não são antagônicas, como pensam algumas pessoas; Quanto mais intensa é a fé, mais profunda se torna a razão.

Quando a fé se torna cega, inevitavelmente, morre.

“Um homem com um mínimo de fé em Deus nunca perde a esperança, porque sempre acredita no triunfo final da verdade”.

Se cuidarmos de hoje, Deus cuidará do amanhã”.

“Para atingir a autonomia, os indivíduos devem cultivar o servir, a renúncia, a verdade, a não violência, o autodomínio e a paciência”.

“Tive que desobedecer à Lei Britânica porque estava agindo em obediência a uma lei maior, a voz da minha consciência”.

“Meu esforço nunca deve ser o de diminuir a fé do outro, mas torná-lo um melhor seguidor de sua própria fé”.

“A satisfação está no esforço e não apenas na realização final”.

“Não há nenhum defeito naquele que procura a verdade baseado em suas próprias luzes; é mesmo um dever de cada um de nós”.
“A verdade deve manifestar-se em nossos pensamentos, em nossas palavras e nossas ações”.

“O controle dos sentidos (PRATYAHARA) permite ficar absolutamente livre da paixão e colocar-se acima dos fluxos do amor e do ódio, do afeto e da aversão”
“Cada dia a Natureza produz o suficiente para nossas carências. Se cada um tomasse o que lhe fossse necessário não haveria pobreza no mundo e ninguém morreria de inanição”

“Quando me desespero, me lembro de que através de toda a história o caminho da verdade e do amor sempre venceu, lá encontramos tiranos e assassinos e durante algum tempo eles parecem ser vistos como invencíveis mas no final eles sempre caem. Sempre”

O apóstolo da não-violência, no qual o seu objetivo tornou-se a constante busca da verdade disse: “Se eu for a vítima de uma bala assassina, não deverá haver ódio dentro de mim. Deus deverá estar em meu coração e em meus lábios”.

Gandhi, o Grande Yogui, como é considerado na India, recebeu do povo indiano o título de MAHATMA (A GRANDE ALMA)

Mohandas Karamchand Gandhi

Nascimento: 02 DE OUTUBRO DE 1869 (Kathiawar-Índia)
Morte: 30 DE JANEIRO DE 1948

Extráido do livro:
“ Os grandes Líderes – Gandhi ”, por Catherine Bush
Editora Nova Cultural

UM GRANDE TESOURO

De acordo com uma velha lenda Hindú, houve uma época em que todos os homens eram divinos, porém tanto abusaram de sua divindade que Brahama, o Deus principal, decidiu tirar esta divindade do homem e escondê-la onde nunca pudessem jamais encontrar.

O lugar para escondê-la se tornou uma grande interrogação.

Quando os Deuses menores foram chamados ao Conselho para considerar o assunto, disseram:
Esconderemos a Divindade do homem nas profundezas da Terra. Brahama disse: “Não, não servirá porque o homem cavará profundo a Terra e aí a encontrará”. Então eles disseram: bem, mergulharemos sua Divindade no oceano mais profundo.

Voltou a responder Brahama: “Não, aí não, porque o homem aprenderá a mergulhar nas águas mais profundas, rastreará no fundo do oceano e aí a encontrará”.

Então os Deuses menores disseram: Levá-la-emos ao topo da montanha mais alta, a mais elevada e ali a esconderemos.

Brahama replicou: “Não porque eventualmente o homem subirá ao pico de cada montanha
da Terra e com certeza encontrará um dia e a possuirá de novo”.

Então os Deuses menores se deram por vencidos e concluíram: Não sabemos onde escondê-la, porque parece que não haverá lugar na Terra ou no mar que o homem não a conquiste eventualmente.

Então disse Brahama: “Isto é o que vamos fazer com a Essência Divina do Homem; esconderemos no mais profundo do seu próprio Ser, porque nunca lhe ocorrerá buscar aí”.

Desde então, conclui a lenda, o homem tem viajado por todos os lugares da Terra subindo, escavando, mergulhando, voando, explorando, buscando algo que leva implantado dentro de si próprio.

O maior tesouro do mundo está no interior de cada pessoa.

3 Responses to Mahatma Gandhi

  • gisele

    fiquei muito feliz por ter conhecido esse espaço

  • Tereza

    Sobre Mahatma Gandhi é tudo e muito mais o que deveremos buscar para nosso bem viver conosco e com a humanidade.

  • Tereza

    É isso mesmo, saber a respeito de Gandhi é tudo que precisamos para aprender a estarmos bem conosco e com a humanidade.

    Abraços,
    Tereza

Leave a Reply

Post Comment