Sati

By admin / novembro, 1, 2011 / 0 comments

A história de Sati e sua reencarnação como Parvati é relatada e descrita em diversos textos clássicos. No Kena Upanishad ou Talakavara, em sua seção terceira. No Kurma Purana e no Vaivarta Purana é descrito um momento em que Brahma (o Deus Criador) obteve uma grande vitoria sobre os outros deuses, e alguns deles, inconformados, buscaram desmerecer tal feito. Assim, Brahma tratou de informá-los sobre o equivoco e, para tanto gerou no céu uma deusa resplandecente chamada uma (sabedoria), que lhes esclareceu a situação. Após algum tempo, Uma renasceu na Terra como Sati, filha do rei Daksha.

Sati é o nome pelo qual se conhece a esposa de Shiva em sua primeira manifestação. Ela é filha de Daksha, um dos filhos de Brahma (o Deus Criador).

Com o exclusivo objetivo de satisfazer seu amor próprio, Daksha exercia uma violenta hostilidade contra Shiva, porque sua filha Sati, venerada manifestação da devoção e piedade feminina, entregou-se ao culto do Deus Shiva.

No dia em que Sati deveria fazer a escolha de seu esposo, seu pai organizou uma grande cerimônia para que ela pudesse elegê-lo entre os convidados, porem seu pai deixou de convidar Shiva. No momento em que a jovem teria que colocar a grinalda (guirlanda) de flores no colo do escolhido, ela jogou-a para o ar e pronunciou uma invocação para aquele que amava: “Se é verdade que me chamo Sati, ó, Shiva, recebe minha oferenda!” mal terminada a invocação, Shiva apareceu com a grinalda sobre os ombros.

Sem duvida, pelo que se seguiu essa união foi considerada, pelos pais da jovem, um casamento desigual. Daksha entrou em conflito com o genro.

A MORTE DE SATI

Certo dia, Daksha, como soberano de um reinado, ia celebrar um ritual de oferenda a Prajapati (progenitor de todos os mundos) e não convidou sua filha Sati e seu esposo Shiva, por não ter simpatia pelo genro. Mesmo assim, Sati, após insistir muito pela permissão de seu marido, resolveu ir sozinha à sua antiga morada para participar do ritual e ver seus pais.

Chegando a casa dos pais, Sati foi insultada e humilhada pelos participantes do ritual e principalmente por seu pai Daksha que queria que sua filha se casasse com alguém que antes de tudo, conviesse aos interesses dele. Após uma longa discussão com seu pai. Sati resolveu lançar-se na fogueira do sacrifício, perecendo. Ela agiu de forma correta e soberana, unindo-se a quem amava, mesmo pagando tal ato com a vida.

Shiva, tendo noticias do acontecimento, caiu em profundo lamento como primeira reação, mas, em seguida, foi possuído por grande ira. Arrancando, então, mexas de sua enorme cabeleira e lançando-as no solo, fez surgir um poderoso guerreiro chamado Virabhadra. Esse extraordinário guerreiro recebeu o encargo de comandar os exércitos de Shiva contra Daksha.

Com efeito, Virabhadra e seu exercito apareceram como um furacão no ritual e deram morte a todos que estavam lá e inclusive a Daksha.
Shiva, ainda pesaroso pela morte da esposa, retirou-se para o Monte Himalaia, onde entrou em profunda meditação. Com o passar do tempo, Sati renasceu como Parvati, deusa da pureza do ar das montanhas e das neves eternas do Himalaia, de novo unindo-se a Shiva para iluminar o universo.

Shiva sem Shakti é Shava

Shiva vendo a forma sem vida de sua amada fixou seu olhar no belíssimo aspecto de Sati, disse, com lagrimas nos olhos e tristeza no coração: “Levante-se, ó, minha amada Sati! Sou eu, Shankara, seu senhor, olhe-me, sou eu quem está ao seu lado. Contigo sou o todo-poderoso, criador de todas as coisas e doador de toda a felicidade, mas sem você, sou como Shava (cadáver), sem poder algum para atuar.”

O preceptor do universo andava vagando sem destino, até que, dominado pelo cansaço e pela dor, caiu desmaiado aos pés de uma figueira.

Vishnu (o Deus Preservador) conseguiu animar e tranqüilizar Shiva que pose ver Sati sentada ante ele e proferir as seguintes palavras: “Seja forte Mahadeva, Senhor de minha alma. Em qualquer estado que meu ser se encontre, nunca estarei separada de ti. Agora, irei renascer como a filha de Himavat, o senhor das montanhas, para converter-me, de novo, em tua esposa. Portanto, não tenha mais tristeza em teu coração por causa de nossa separação.” Havendo assim consolado Shiva, Sati desapareceu.

Leave a Reply

Post Comment